Alocação e implantação pró-ativa de IPv6 no ES

em 27 de abril de 2016

Diante do cenário restritivo para alocações de endereços IPv4, neste ano, a Gerência de Operações da RNP, com apoio dos PoPs, trabalha em um projeto de alocação e configuração de IPv6, visando fomentar o uso do protocolo. O gráfico anexo é um exemplo real do baixo uso atual, contando com apenas uma média de 60 Mbps no período de um ano. A RNP pretende, em primeira ação, alocar e implementar IPv6 até a LAN de acesso em instituições primárias que sejam sede/reitorias apenas. O PoP-ES, porém, aproveitou a oportunidade para estender a ação para todos os seus clientes.

ipv6

Desde 2008, toda a infraestrutura do PoP-ES já opera totalmente em pilha dupla, tanto em IPv4 quanto em IPv6, porém a implantação nos campi e instituições conectadas não avançou satisfatóriamente nesse período. A configuração se iniciava pela solicitação da instituição de um bloco IPv6 e então eram realizadas as configurações na rede  de acesso para disponibilizar o roteamento do bloco IPv6 até a instituição. Em 2016, a partir da iniciativa da Gerência de Operações de alocar pró-ativamente o bloco, a coordenação do PoP-ES estendeu a alocação e a ativação do protocolo na rede de acesso para todos os seus clientes, sejam eles sedes de instituições primárias, ou instituições secundárias ou campus no interior do Estado.

As atividades foram concluídas no final do mês de abril desse ano, e agora o protocolo IPv6 está ativo até o equipamento de acesso localizado dentro da instituição em 100% das instituições conectadas ao PoP-ES. Os responsáveis técnicos foram notificados, com o objetivo de incetivar a adoção e a disponibilização de serviços das instituições sobre IPv6 na Internet, como também viabilizar a utilização pelos usuários finais, dos conteúdos já disponíveis em IPv6 na Grande Rede.